Hábitos que podem ajudar os cães a ter uma vida mais longa | TVFEIRADESANTANA.com 100% Internet

A maioria dos cães vive apenas cerca de dez a catorze anos em média. Mas há alguma forma que os ajude a maximizar a sua esperança média de vida?   Alguns cães vivem mais anos, outros acabam por durar menos porque são mais propensos a contrair doenças q...

notícias, jornalismo, reportagens

Hábitos que podem ajudar os cães a ter uma vida mais longa

Publicado por: Redação
02/09/2021 18:27:32

A maioria dos cães vive apenas cerca de dez a catorze anos em média. Mas há alguma forma que os ajude a maximizar a sua esperança média de vida?

 

Alguns cães vivem mais anos, outros acabam por durar menos porque são mais propensos a contrair doenças que acabam por ser fatais.

 

No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que os humanos e os cães partilham muitas semelhanças genéticas – incluindo uma predisposição ao cancro que está relacionada à idade. Isto significa que muitas das coisas que os humanos podem fazer para serem mais saudáveis ​​e viverem mais tempo também podem funcionar com os seus fiéis companheiros.

 

Um fator que está relacionado com a longevidade de uma variedade de espécies é manter um peso corporal saudável. Isso significa garantir que os cães não estão com excesso de peso e implica controlar a sua ingestão de calorias.

 

Um peso corporal saudável não só será melhor para o cão a longo prazo, como também pode ajudar a limitar o impacto de certas condições de saúde, como a osteoartrite.

 

Os especialistas aconselham a monitorizar cuidadosamente o peso corporal do cão através de uma pesagem regular ou pontuação de condição corporal. A utilização conjunta dos dois métodos irá permitir que o dono identifique as alterações de peso e adapte a dieta do animal.

 

De uma forma geral, uma boa nutrição pode estar ligada a um processo de envelhecimento saudável, sugerindo que os alimentos ingeridos são tão importantes como a quantidade em que são consumidos.

 

Por outro lado, um outro fator importante na vida dos cães são as caminhadas.

O exercício tem muitos benefícios fisiológicos e psicológicos, tanto para os cães, como para os humanos. A atividade física pode ajudar a controlar o peso corporal de um cão e também está associada a efeitos anti-envelhecimento em outras espécies geneticamente semelhantes.

 

Embora o exercício por si só não aumente a vida útil do cão, pode ajudar a protegê-lo contra o excesso de peso corporal.

 

Contudo, é importante relembrar que o envelhecimento não é apenas físico. Manter a mente do cão ativa também é fulcral. Ao contrário do ditado popular, é importante ensinar novos truques a cães mais velhos, de modo a que estes possam manter o seu cérebro mais jovem.

 

Mesmo em alturas em que a atividade física tem de ser limitada, é aconselhado que os donos dos animais explorem jogos e atividades alternativas de baixo impacto, como tarefas que envolvem olfato, por exemplo. Isto porque usar o nariz é uma ação inerentemente gratificante e divertida para os cães.

 

Outros exercícios, como a hidroterapia – um tipo de exercício de natação – também pode ser uma boa opção – especialmente para cães que apresentam condições que afetam a sua capacidade de se exercitar normalmente.

 

Um dos pontos mais importantes na vida dos animais é o carinho e a ligação que têm com os seus donos. O vínculo humano-cão fornece companheirismo – e muitas vezes, os donos de cães descrevem-os como um membro da família.

 

Um vínculo estável entre o cuidador e o animal pode ajudar a manter uma parceria feliz e mutuamente benéfica entre ambos.

 

Onde há compatibilidade entre o cuidador e o cão, há um relacionamento melhor. Como tal, é aconselhado que sejam partilhadas experiências positivas e divertidas com o cão, incluindo brincadeiras que possam consolidar o vínculo.

 

Por fim, e não menos importante, é essencial não esquecer as consultas frequentes no veterinário.

Os programas bem-sucedidos de vacinação e controlo de parasitas reduzem efetivamente a incidência de doenças em cães e humanos – incluindo toxocaríase, que pode ser transmitida das fezes do cão para os humanos, tal como a raiva.

 

Ter um bom relacionamento com o veterinário irá ainda permitir que o dono personalize os tratamentos e discuta as necessidades do cão.

 

Verificações regulares de saúde também podem ser úteis para identificar quaisquer problemas potenciais em estágio inicial – como problemas dentários ou osteoartrite – que podem causar dor e afetar negativamente o bem-estar do animal.

 

A saúde e a longevidade do cão são uma combinação da genética e do ambiente em que este vive. Por isso, há muitas coisas que se podem fazer para melhorar os dias do animal e ajudá-lo a ter mais qualidade de vida.

Originalmente Publicado por: ZAP // The Conversation

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Vídeos relacionados